notícias |Postado em 21-07-2021

Certificação com o programa Leaping Bunny na América Latina

Muitas vezes já mencionamos que a ONG Te Protejo certifica empresas Cruelty Free (livres de testes em animais) da América Latina, porém gostaríamos de explicar como essa certificação é criada e funciona. A organização sem fins lucrativos ONG Te Protejo nasceu no Chile em 2012, com a convicção de que uma fonte de informação séria e confiável era necessária para orientar as/os consumidores de cosméticos ou produtos de limpeza que desejassem usar produtos verificados cruelty free na região.

Para iniciar essa tarefa, a primeira etapa foi entrar em contato com organizações internacionais reconhecidas que se dedicam à certificação de marcas e fornecer orientação sobre testes em animais. Elas nos comentaram sobre seu trabalho, nos informaram sobre seus sistemas de certificação e o padrão utilizado. Compreendemos então o quanto é importante e fundamental para uma marca ter uma certificação para declarar que está livre de testes em animais.

Embora os processos sejam diferentes em cada organização, todas concordaram que escrever um e-mail dizendo "não testamos em animais" ou declarando-o na embalagem sem um respaldo, é um ato de Marketing muito simples de fazer e que não reflete necessariamente um compromisso real da empresa com este tema, nem assegura ao consumidor a profundidade daquelas declarações.

A organização então decide ser uma fonte de informação, onde usaria suas plataformas para informar sobre marcas certificadas como livres de testes em animais, as que também devem ser respaldadas por organizações que exigem pelo menos 3 requisitos que são essenciais para a ONG Te Protejo: 1. Os produtos acabados, as matérias-primas, e os ingredientes que as constituem, não devem ser testados em animais, 2. Os produtos acabados não devem ser testados para entrada em outros países, 3. As informações devem ser renovadas pelo menos a cada 3 anos.

PETA, Leaping Bunny, Choose Cruelty Free, Cruelty Free International, Acene, BDIH, Natrue e One Voice são algumas das organizações e programas encarregados de fazer cumprir esses critérios durante o processo de certificação.

Após um ano educando os consumidores chilenos, passamos a receber vários comentários positivos sobre nosso trabalho, e começamos a perceber o interesse de marcas nacionais de cosméticos em obter um selo com essas características. É nesse momento que Te Protejo decide certificar marcas de cosméticos chilenas por meio de um selo próprio.

Para a realização deste trabalho, foi realizada uma investigação sobre o processo de registro de um produto cosmético no Chile, além de registrar o selo que seria utilizado na certificação, que teria início em 2013 no Chile.

Em 2017, a ONG Te Protejo, a pedido de seus seguidores, iniciou as pesquisas necessárias para poder certificar em outros países da América Latina. Foi investigada a legislação em vigor em matéria cosmética no Peru, Colômbia, Argentina, Brasil e México, e foram iniciados os processos de registro do selo da ONG em cada país.

Com esta etapa já alcançada, em 2018 a organização dá luz verde para iniciar os processos de certificação de marcas de cosméticos pertencentes a cada um desses países.

No entanto, no início do ano de 2021 um marco importante foi alcançado para a ONG Te Protejo e para todas aquelas pessoas interessadas ​​em adquirir produtos cosméticos livres de crueldade, um acordo foi assinado com a organização Cruelty Free International para implementar o programa Leaping Bunny em América Latina, que representa o padrão de excelência para certificações cruelty free no mundo. Assim, qualquer certificação realizada pela ONG Te Protejo a partir de 2021, será por meio da licença Leaping Bunny.

Cruelty Free International lidera a campanha para acabar com os testes em animais para cosméticos em todo o mundo. É a principal organização que trabalha para criar um mundo onde ninguém queira ou acredite na necessidade de testar em animais. Como uma das organizações de proteção animal mais antigas e respeitadas do mundo, é amplamente considerada uma autoridade em questões de experimentação em animais e, frequentemente, governos, mídias de comunicação, corporações e órgãos oficiais procuram sua assessoria e opinião de especialistas.

Leaping Bunny é o padrão ouro mundialmente reconhecido para a certificação de produtos cosméticos, de cuidado pessoal e de limpeza de casa cruelty free e, atualmente, mais de 1.000 empresas têm o orgulho de ser aprovadas como livre de testes em animais pelo programa Leaping Bunny. Este selo vai permitir que as marcas, além de serem reconhecidas e validadas mundialmente como livres de crueldade, tenham também o apoio de parceiros em toda a União Europeia e nos Estados Unidos. Para todas as marcas que desejem ser certificadas, indicamos que o processo de certificação consiste em 5 etapas:

1. Toda empresa que queira se certificar deve assegurar-se de que é elegível para o programa Leaping Bunny.

As marcas recebem um guia que lista os requisitos e explica o processo de certificação em detalhe. Se a empresa atende a todos os critérios e aos requisitos de elegibilidade, um acordo de confidencialidade é assinado e deve ser paga uma taxa de inscrição para iniciar o estudo da marca. O valor da taxa é de 300 libras esterlinas (420 USD aproximadamente).
. Não pode se certificar: Pessoas que são representantes de vendas de uma marca ou marcas que re-embalam produtos fabricados por outros.
. A todas as marcas é solicitado um catálogo completo de produtos, indicando o número do registro sanitário de cada uma (se aplicável).

2. A empresa deve implementar um sistema interno que permita o monitoramento de seus fornecedores (SMF).

Um sistema de monitoramento de fornecedores é o conjunto de procedimentos ou métodos que permitirá à empresa realizar um acompanhamento eficaz dos documentos que serão solicitados, atendendo assim aos critérios do programa Leaping Bunny.

Cada empresa atua de forma diferente, então cada uma pode implementar o sistema da maneira que for mais fácil para ela, desde que atenda aos critérios do Leaping Bunny.

3. A empresa deve coletar declarações de não realização de testes em animais.

Para verificar se houve testes em animais de matérias-primas, ingredientes e produtos finais, serão solicitadas declarações de não realização de testes que devem atender a critérios específicos. Esses documentos devem ser registrados e disponibilizados para revisão ou acompanhamento a qualquer momento.

Essas declarações também devem indicar que nenhum teste em animais foi realizado após a Data Limite Fixa, que é definida e informada às marcas antes de entrar em contato com seus fornecedores.

Caso houve testes em animais após a Data Limite Fixa, uma avaliação confidencial da experimentação em animais será realizada com o apoio da ONG Te Protejo e Cruelty Free International.

Finalmente, será solicitada à empresa sua política de não realização de testes em animais, e caso ainda não tenha, deve elaborar uma de acordo com os princípios promovidos pelo selo Leaping Bunny e a ONG Te Protejo.

4. Um contrato deve ser assinado.

Assim que as marcas enviarem os documentos e forem aprovadas, devem assinar digitalmente um contrato legal com a Cruelty Free International para autorizar o uso do selo Leaping Bunny. Este contrato é válido por apenas um ano e é renovado em abril. O contrato é assinado apenas pela/pelo representante legal da empresa.

5. Pagamento da taxa anual e lançamento nas mídias sociais.

Após o envio dos documentos e a assinatura do contrato, as empresas deverão pagar a taxa anual de certificação, dependendo do plano que lhes corresponde. Existem diferentes faixas, que se diferenciam nas vendas anuais realizadas pela empresa.

A taxa anual será paga à Cruelty Free International em sua sede em Londres, para a qual será faturada em libras esterlinas (GBP).

Seguem as tabelas com os valores para empresas da América Latina (USD, dólares americanos):

Empresas da América Latina

Depois de concluído todo esse processo, é realizada uma campanha de lançamento e boas-vindas.

Todos os planos consideram que a marca seja adicionada ao motor de busca da Cruelty Free International e aos seus canais de mídias sociais. A ONG Te Protejo inclui a marca em listagens digitais, bem como um lançamento digital que inclui uma postagem no Blog da ONG Te Protejo e um sorteio nas mídias sociais.

As marcas que já possuem certificações de organizações estrangeiras acessam imediatamente os benefícios da ONG Te Protejo, sem custo associado à aparição em nosso site, pois já possuem uma certificação que nos garante que não testam em animais.

Se uma empresa não renova sua certificação ou uma empresa estrangeira perde sua certificação internacional, ela automaticamente sai do nosso site, por isso está em constante atualização.

Todo este trabalho, somado às atividades, atualizações do site, palestras, stands e campanhas realizadas pela ONG Te Protejo é graças a uma equipe de mais de 70 voluntárias que dedicam seu tempo, dedicação e profissionalismo para continuar o trabalho árduo desta organização.

Agradecemos cada postagem, cada mensagem e cada empresa comprometida que passa por todo este processo e esperamos que ano após ano possamos continuar crescendo juntos, e que cada vez mais pessoas possam ter acesso a produtos livres de testes em animais.